Instagram

Tudo O Que Você Precisa Saber Sobre Escada Pressurizada

Tudo O Que Você Precisa Saber Sobre Escada Pressurizada

Por: Engethink - 14 de Julho de 2020

Leia sobre

Ao projetar a construção de edifícios comerciais ou mesmo residenciais, há um fator muito importante a ser considerado: a segurança! É claro que espera-se que incêndios nunca aconteçam, mas é necessário contar com mecanismos que permitam a fuga de todos os ocupantes, caso eles venham a ocorrer. Um item fundamental nesse sistema é a escada pressurizada.

Isso porque, diante de um incêndio, as queimaduras não são o único risco à vida e à saúde das pessoas. A fumaça resultante do fogo contém monóxido de carbono, entre outros gases, que podem até mesmo causar a morte quando inalados em grandes quantidades. Então, além de ficar longe do fogo, é necessário evitar a inalação desses gases.

Se você deseja entender melhor o sistema de pressurização das escadas de emergência, continue lendo. O artigo de hoje traz informações importantes sobre o tema!

O que é escada pressurizada?

Imagine que um incêndio está ocorrendo e as pessoas precisam evacuar o prédio. A única via para isso é a escada de emergência. Entretanto, ela também é parte da construção e, portanto, está sujeita a ser invadida pelos gases tóxicos da fumaça. Se isso ocorresse, não se trataria de um meio efetivo, já que as pessoas estariam expostas ao risco de intoxicação durante o processo de esvaziamento do local.

Porém, existe um meio bastante eficaz que permite evitar tal ocorrência: estamos falando da pressurização das escadas. Trata-se de um processo através do qual grandes quantidades de ar limpo são insufladas na escada de emergência, não permitindo assim a entrada de outros componentes do ar. Assim, as pessoas podem seguir a rota de fuga, respirando ar puro.

A escada pressurizada se diferencia das escadas com ventilação natural, já que o ar injetado em seu interior visa tornar sua pressão interna maior que a exterior. Tal medida é conseguida a partir da instalação de motoventiladores, posicionados de forma estratégica.

Precisa instalar um sistema de pressurização de escada? Fale com a nossa engenheria!

Que outros componentes garantem a segurança em caso de incêndio?

É importante que se pense em tudo na hora de projetar uma construção. Como dissemos, além de realizar manutenções regulares na parte elétrica para que incêndios não ocorram, é importante construir toda uma rota que será seguida caso eles ocorram. Assim, toda construção deve contar com escadas de emergência, devidamente sinalizadas. Inclusive, a sinalização da rota de fuga deve ser fotoluminescente para que seja identificada mesmo que o ambiente esteja escuro.

Assim, as pessoas seguirão essa rota, que as levará até a escada pressurizada, que é a via pela qual chegarão à saída, sem nenhuma exposição ao ar tóxico produzido pela queima. Vale lembrar ainda que os treinamentos para incêndio são importantíssimos também para conscientizar a todos das melhores formas de evacuar o prédio, sem tumultos, que representariam mais um risco à vida dos envolvidos.

Quais os componentes principais da escada pressurizada?

Não basta determinar um espaço estratégico para localização da escada pressurizada: é importante incluir no projeto também os demais componentes do sistema, para que ele funcione adequadamente. São eles:

Duto de captação

Imagem de Engethink

O primeiro passo do processo consiste em captar ar natural para prepará-lo para o insuflamento. O duto é o responsável por fazer essa captação e transportar o ar até o sistema.

Filtro de ar

Localizado na entrada do duto de captação, sua função é garantir que o ar utilizado seja o mais puro possível. Ele retém partículas tóxicas e resíduos, para evitar que o ar contaminado entre no sistema.

Venezianas de captação

Localizadas estrategicamente, sua função é captar o ar mais puro possível, ainda que ele vá passar pelo filtro. Deve-se evitar instalá-las próximas a exaustores de cozinha e outros equipamentos que possam prejudicar a pureza do ar ao redor.

Motoventilador

Imagem de Engethink

Trata-se do principal equipamento responsável pela pressurização do ar. Ele conta com um mecanismo que trabalha o ar natural do ambiente para fazer o insuflamento. Dentro do motoventilador, o ar é acelerado por pás giratórias, e impulsionado para a saída. Nesse caso, a saída é um duto que o transporta até a escada. Ao escolher o modelo de rotor a ser utilizado, você precisa avaliar o custo X benefício de cada uma das opções, além de conversar com o engenheiro responsável pelo projeto em sua construção.

Duto de insuflamento

Do motoventilador, o ar segue por um duto que o conduzirá até a próxima etapa do sistema. Seu interior deve ser preferencialmente metálico, para que a pressão do ar não baixe devido a rugosidades, e isolado, de modo que não ocorram vazamentos ou entrada de ar contaminado.

Duto vertical

É a parte do sistema imediatamente anterior à escada. Ele recebe o ar do duto de insuflamento e o conduz até a escada, e pode ser de alvenaria ou metálico, sendo a segunda a melhor opção. Ainda que o material metálico, em si, seja mais caro, ele permite diminuir as dimensões do tubo, promovendo um ganho na área ocupada.

Grelhas de insuflamento

São as responsáveis por distribuir o ar pela escada pressurizada. Elas se localizam ao final do duto vertical e devem ser regularmente distribuídas ao longo da escada, sendo obrigatório a presença de uma na entrada e outra na saída principal do pavimento. Normalmente, são reguláveis em relação ao fluxo.

Damper de sobrepressão

Imagem de Engethink

Não basta pensar somente em pressurização. É importante cuidar para que as pressões também não excedam o recomendado que, no caso da escada pressurizada é de 60Pa. Caso ela se eleve além disso, há risco de dificuldades para abertura das portas, o que ocasionaria comprometimento no acesso às escadas. O damber consiste em uma rede de abertura automática. Quando a pressão se excede, ele se abre e promove o alívio imediato, fechando-se assim que ela volta aos níveis indicados.

Sala de insuflamento

É a sala onde ficam os motoventiladores. Ela deve ser fechada por porta corta-fogo e ser resistente às chamas por cerca de 3 horas. É nela que entra o ar captado através do duto de captação. Normalmente, fica localizada em andares mais baixos e conta com uma central para desligamento automático de todo o sistema de pressurização. Para evitar a contaminação do ar insuflado, há detectores de fumaça, que desligam automaticamente o sistema quando há sinais de fumaça no interior da sala. Por outro lado, os detectores de fumaça externos são os componentes que vão desencadear o acionamento do sistema em caso de incêndio.

Seu tamanho deve ser suficiente para que caibam todos os equipamentos necessários e ainda deve haver espaço para manutenção. Normalmente, algo em torno de 4 metros quadrados é suficiente. Como existem diferentes alturas em edificações, as dimensões da sala e também a escolha dos motoventiladores pode ser adequada à realidade de cada construção.

Qual o mecanismo de funcionamento da escada pressurizada?

Assim que detectada uma situação de incêndio, o sistema é acionado através dos detectores de fumaça. Caso esse acionamento automático não aconteça, será necessário fazê-lo manualmente, a partir de botões de comando que ficam localizados junto à central de alarme (esses botões são obrigatórios). O ar captado do ambiente externo segue então pelo sistema: filtro, duto de captação, sala de insuflamento, duto de insuflamento… passando pelas grelhas até chegar à escada.

É necessário se certificar que os dampers estejam também funcionando adequadamente para evitar a sobrecarga de pressão. Podemos considerar que existem dois modelos de sistema para pressurização de escadas. Um deles é acionado apenas em situação de emergência, permanecendo portanto, desligado a maior parte do tempo. O outro se mantém em funcionamento constante, porém, a uma pressão menor (algo em torno de 15PA). Quando surge a situação de emergência, a pressão é então aumentada.

Como evitar problemas de funcionamento da escada pressurizada?

Se levarmos em conta que a energia elétrica é necessária para o acionamento e funcionamento do sistema, é preciso precaver-se para a falta dela durante a emergência. Incêndios podem ser provenientes da rede elétrica, o que levaria a um desligamento. É importante contar com um gerador, de acionamento automático, que mantenha o abastecimento por algumas horas, garantindo que o sistema cumpra seu papel.

Caso os detectores estejam instalados em área suscetível a picos de energia, devem ser devidamente protegidos. Também é importante que o sistema seja todo planejado para que o tempo de resposta entre a detecção do incêndio e a sua ativação seja o mais curto possível. Inclusive, esse tempo deve ser o mesmo tanto para o acionamento automático quanto para o manual.

Além disso, os testes do sistema são de suma importância. Eles devem ser realizados quando da instalação, antes da ocupação do edifício e também periodicamente, conforme indicado pelo engenheiro responsável. Assim, devem ser testados o funcionamento dos ventiladores, os sistemas de controle e os mecanismos de segurança.

O mecanismo ideal para teste é acionar o sistema, simulando uma emergência e observar as ações em sequência. Quanto ao acionamento automático, uma quantidade de fumaça é injetada propositalmente nos detectores para verificar o seu acionamento. É importante ainda que o sistema de escada pressurizada apresente a documentação necessária.

Mas os problemas relacionados ao sistema não se atêm somente ao funcionamento. Dessa forma, os cuidados devem começar na hora de desenhar o projeto, que precisa levar em conta parâmetros de design, como estimativas de vazamento. Logo, a importância de contratar uma empresa que conte com engenheiros qualificados para realizar o projeto. Lembre-se de que, é do funcionamento correto do sistema que depende a vida e a saúde de ocupantes e bombeiros, diante de uma ocorrência.

Quais os documentos necessários para o sistema?

O sistema de escada pressurizada precisa contar, basicamente, com o relatório detalhado do projeto da escada pressurizada e o manual de operação e manutenção. No primeiro, devem constar informações como o objetivo e dimensões do sistema, a localização e a ficha técnica dos componentes, bem como os métodos de ativação. Já no manual, geralmente estão presentes os procedimentos e desempenho do sistema e os requisitos para teste e manutenção, ficando o proprietário responsável por realizar tais testes e registrá-los. É importante considerar que todos esses documentos devem ser mantidos arquivados por toda a vida útil planejada para o sistema.

Por que a minha construção precisa de uma escada pressurizada?

Pode ser que você esteja se perguntando em que situações é necessária a instalação de uma escada pressurizada. Trata-se de um componente obrigatório, exigido pelo Corpo de Bombeiros, de acordo com a altura do edifício. Essa altura é determinada pela entidade em cada Estado e, portanto, pode variar de uma localidade para outra.

Tais informações, bem como todas as outras obrigatoriedades legais relacionadas ao tema, constam na norma técnica pertinente a cada Estado. Para Minas Gerais, por exemplo, existe a IT10, que versa sobre todos os processos de projeto, instalação e utilização dos sistemas de pressurização de escadas de emergência.

Assim, ao iniciar um projeto de construção, é importante informar-se no órgão competente do seu Estado, sobre a necessidade da escada pressurizada. Trata-se de uma forma inteligente e eficiente de manter-se de acordo com as leis e ainda garantir a segurança e integridade dos usuários e colaboradores do local.

Quem pode avaliar a necessidade e desenvolver um projeto de escada pressurizada?

O profissional responsável pelo projeto de escada pressurizada é o engenheiro. Ele vai avaliar a necessidade do cliente, com base nas leis vigentes, e indicar os melhores mecanismos e disposições para garantir um sistema efetivo. Na hora de escolher a empresa para fazê-lo, leve em conta sua experiência no mercado e a qualificação dos engenheiros responsáveis. É importante avaliar o custo X benefício do projeto e buscar referências, de modo a certificar-se de que os profissionais envolvidos realmente contam com a formação e o conhecimento necessários para desenvolver um projeto que cumpra todas as normas legais e ainda funcione adequadamente.

A escada pressurizada é um dos componentes indispensáveis para uma edificação segura e legalmente adequada. Mas, antes de mais nada, você deve contar com um bom projeto, boas condições de instalação e testes e manutenção periódica. Pode ser que nunca ocorra um incêndio (é o que se espera), mas é necessário estar preparado para caso ele ocorra ainda hoje.

E você? Já se beneficiou de um sistema de pressurização de escadas? Deixe seu comentário abaixo e compartilhe conosco a sua experiência.

Precisa instalar um sistema de pressurização de escada? Fale com a nossa engenheria!