Instagram

O Poder Da Régua De Gases Medicinais

O Poder Da Régua De Gases Medicinais

Por: Engethink - 11 de Agosto de 2020

Leia sobre

Instalações hospitalares, sejam elas centros cirúrgicos ou mesmo enfermarias, precisam contar com uma série de aparatos, que garantem ao paciente os cuidados necessários. Um dos elementos indispensáveis para esses locais é a régua de gases medicinais, afinal a oxigenação ou mesmo o uso de alguns gases anestésicos pode se fazer necessária.

Trata-se de um elemento obrigatório já que, ainda que o paciente esteja relativamente bem, nunca se sabe quando pode surgir uma emergência, como insuficiência respiratória. Nesses casos, basta conectar o equipamento adequado à régua para ter acesso ao suprimento que o paciente precisa. Por essa razão, podemos dizer que a régua de gases medicinais é um dos elementos essenciais para a manutenção da vida e da saúde do paciente.

Se você deseja entender melhor como funciona a régua de gases e como fazer para inserí-la em suas instalações hospitalares, continue lendo. Preparamos um artigo especial sobre o assunto.

Instale sua régua de gases medicinais com a Engethink! Clique Aqui

Afinal, o que é uma régua de gases medicinais?

Imagem de Engethink

Quando pensamos no uso de gases na medicina, normalmente nos vêm à mente o oxigênio, tão necessário para muitos pacientes. Entretanto, os gases medicinais vão muito além disso. A régua gases medicinais consiste em uma espécie de painel, fixado à cabeceira de leitos e centros cirúrgicos.

Nela, são indicados os gases disponibilizados em cada saída. Vale lembrar que é importante incluí-la na instalação do sistema de gases medicinais do seu estabelecimento, já que devem haver saídas disponíveis de todos os fluidos necessários. Para isso, eles devem ser direcionados a partir dos cilindros onde ficam armazenados. Daí a importância de contar com uma empresa especializada para sua instalação.

A régua de gases medicinais é padrão?

Pode ser que você esteja se perguntando se a régua de gases medicinais segue a um padrão comum a todas as instalações. Primeiramente, precisamos entender que muitos são os gases medicinais. Eles vão desde o oxigênio (utilizado para prover a respiração de pacientes quando a oxigenação natural não é suficiente), o óxido nitroso (utilizado em anestesias e analgesias), o ar comprimido (utilizado para purificar o ambiente, ou mesmo na condução de alguns medicamentos), dentre outros.

Há ainda o sistema de vácuo, responsável por fazer a sucção de secreções e fluidos que ficam acumulados no sistema. Tal material fica armazenado em frascos, controlados por boias, que não permitem que sejam reinseridos no sistema. Dessa forma, é necessário respeitar o tempo determinado para limpeza desses locais.

Quanto ao modelo e aos gases disponíveis na régua, podemos considerar que não existe um padrão único, seguido por todos os estabelecimentos. Embora ela siga modelos específicos de identificação e cores, há variações no layout e os gases disponíveis podem ser personalizados, de acordo com a necessidade de cada estabelecimento e do setor em questão.

Quer um exemplo? Em enfermarias, normalmente conecta-se o oxigênio e gases para inalação, além do sistema de vácuo. Já em um centro cirúrgico, também são necessários os anestésicos. UTIs demandam ainda conexões para ventiladores, umidificadores e tudo o mais que possa ser necessário para o tratamento intensivo.

Quais os mecanismos de segurança para o sistema?

Os sistemas de gases medicinais precisam contar com alarmes, que emitem alertas às equipes médicas, em relação ao fornecimento de cada um dos componentes. Gerenciar esses alarmes de forma adequada é a garantia de que nenhum suprimento faltará aos pacientes.

É importante considerar que a régua de gases medicinais é apenas a parte final de todo um sistema. Para que ela funcione adequadamente, os cilindros de armazenagem devem estar devidamente abastecidos, e toda a tubulação por onde os gases fluem precisa contar com boas condições de funcionamento.

Quais as vantagens desse importante componente?

A régua de gases medicinais traz alguns benefícios às equipes médicas que atuam no complexo onde estão disponíveis e também aos pacientes. Dentre as principais podemos citar a melhor organização à beira dos leitos, a segurança dos pacientes, que não ficarão desprovidos de suprimentos e a eficiência na hora de agir diante de uma emergência clínica.

Além disso, o fato de os gases medicinais estarem disponibilizados apenas para conexão e uso melhora a produtividade da equipe, já que representa um apoio clínico e assistencial. As operações se tornam mais eficientes se levarmos em conta também que, em caso de escassez de algum componente, a equipe será avisada a partir da emissão de alertas do sistema. Assim, é possível solucionar a questão antes que ela traga consequências aos pacientes.

Por fim, consideremos que a régua também influencia no layout da enfermaria ou centro cirúrgico. Os bicos para conexão de equipamentos que fornecem suporte aos pacientes são facilmente acoplados a ela e isso confere uma imagem de organização e limpeza ao local.

Quem contratar para instalar o sistema de gases medicinais?

Como dissemos, a régua é apenas a parte exposta do sistema de gases medicinais. Trata-se de um complexo que inclui uma central de armazenagem, mangueiras flexíveis que conduzem os gases, redes de suprimentos por onde eles são distribuídos. Há ainda os painéis e válvulas responsáveis por controlar a pressão interna de todo o sistema.

Assim, é importante contar com mão de obra especializada na instalação. Para isso, vale contratar uma empresa de engenharia, que seja registrada no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) da sua região. Além disso, é importante observar se há pelo menos um engenheiro responsável no quadro de funcionários do local. Lembre-se de que o registro no CREA não é a garantia da presença de engenheiros.

A empresa contratada vai desenvolver um projeto de gases medicinais e, uma vez aprovado, vai proceder com a instalação, inclusive das réguas nos locais necessários. O sistema será testado, de modo a tornar-se seguro para ser colocado em uso. A manutenção também deverá ser feita periodicamente, em caráter preventivo e a cada vez que surgir algum problema. É a empresa contratada também que vai substituir as réguas ou quaisquer outros componentes que apresentem problema.

A régua gases medicinais é essencial para o seu estabelecimento médico. Contratar uma empresa especializada em engenharia é uma forma de garantir que, além de eficiente, o sistema contará com um layout agradável e segurança para todos.

Está precisando de um sistema de gases medicinais? Já tem o sistema e precisa de implantação ou substituição das réguas? Conheça a Engethink!