Instagram

A Válvula Reguladora De Oxigênio E Sua Aplicação

A Válvula Reguladora De Oxigênio E Sua Aplicação

Por: Engethink - 20 de Maio de 2021

Leia sobre

Em

<a href="#" data-inner-link="blog/rede-de-oxigenio-em-hospitais-e-clinicas-engethink-engenharia">hospitais e clínicas</a>

, é comum que se utilizem instalações de gases medicinais. O sistema se inicia em uma central de gases, onde os fluidos se armazenam em cilindros específicos, de acordo com o tipo. Dessa forma, se considerarmos um dos principais gases utilizados na medicina, devemos considerar que muitos são os componentes até enviá-lo ao paciente, e a válvula reguladora de oxigênio é indispensável.

Os gases medicinais se organizam em um sistema, que é projetado e instalado em estabelecimentos de saúde. Sua principal função é fornecer suprimentos ao paciente, seja para respiração, anestesia ou mesmo aplicações específicas para alguns tratamentos. Quando pensamos no oxigênio, podemos considerar que ele está presente em praticamente todos os sistemas, salvo raríssimas exceções. Assim, a válvula que regula seu fluxo também é uma das protagonistas.

Quer entender mais sobre a válvula reguladora de oxigênio? Continue lendo abaixo.

O que é e para que serve a válvula reguladora de oxigênio?

Imagem de Engethink

Primeiramente, vamos levar em conta que o oxigênio é o gás da respiração. Muitas doenças ou tratamentos fazem com que ele fique abaixo dos níveis esperados no organismo do paciente, o que exige o suprimento artificial. Dessa forma, o oxigênio precisa chegar ao paciente a uma pressão específica, nem abaixo nem acima do necessário para garantir a sua correta respiração. Além disso, a pressão precisa ser constante, sem que ocorram variações durante o uso.

Eis a função da válvula: manter a pressão controlada e em fluxo constante. A peça funciona em conexão direta com o cilindro, de modo a receber o oxigênio assim que ele sai do seu recipiente. A partir dela, o gás flui pelo sistema já com a pressão ajustada. Embora haja uma pressão considerada padrão para trabalho com esse gás, há modelos que permitem uma regulagem, já que, em alguns tratamentos, é necessária a aplicação de fluxos mais concentrados.

Quais os tipos de válvula reguladora de oxigênio?

Como dissemos, as válvulas disponíveis no mercado podem ser de modelos diferentes e vale mensurar qual a ideal para a necessidade do seu sistema.

Válvula com saída única – Projetada para sistemas de pequeno e médio porte, como o próprio nome já sugere, trata-se de uma peça com uma única saída, onde se conecta a continuidade do sistema. A pressão vai até 300kgf/cm2, o que representa um padrão para instalações mais simples;

Válvula com saída dupla – Trata-se de uma válvula que permite a ligação de duas vertentes do sistema em um único regulador de pressão. Quando não é possível simplesmente levar o gás do cilindro até o paciente, mas é necessário direcioná-lo a locais distintos, essa peça pode ser muito útil. Há sistemas que utilizam ainda um adaptador em forma de Y, com uma entrada e duas saídas para o fluido.

Válvula com fluxômetro – Diferencia-se das demais por contar com um fluxômetro acoplado (peça que mede e controla a pressão exata do oxigênio). Por essa razão, a regulagem se torna mais fácil, caso o sistema (ou alguma aplicação específica recorrente) precise de uma pressão diferenciada.

Contar com ajuda profissional para escolher a que mais se adapta ao seu sistema é o melhor caminho para atender corretamente às necessidades do seu paciente.

Como ter acesso à essa peça?

Se você está pensando em instalar um sistema de gases medicinais em sua clínica, você precisa de um serviço profissional. A válvula reguladora de oxigênio é apenas uma das peças de um sistema complexo, que inicia com um projeto, e passa para a instalação física. Assim como os demais componentes do sistema, ela precisa ter um certificado e partir de um fornecedor cuja procedência é confiável.

Para isso, o melhor caminho é contratar uma empresa especializada em engenharia para realizar o serviço do início ao fim. Primeiro, é importante desenvolver um projeto. Lembre-se de que cada sistema é único, e tem características específicas, que você precisa respeitar. A empresa responsável avalia isso tudo juntamente com você. No projeto, consta cada componente e o seu desenvolvedor também poderá indicar onde adquirir essas peças, inclusive a válvula.

Onde se localiza a válvula reguladora de oxigênio?

Como dissemos, a válvula costuma ficar bem na saída do cilindro de oxigênio. O sistema de gases hospitalares começa em uma central de gases, construída em uma área externa e segura, conforme regulamentações legais. Nessa central, fica o cilindro de oxigênio. A válvula, independentemente do modelo, se localiza em sua saída e, a partir dela, o gás se direciona pela tubulação, até chegar à régua de gases, que o disponibiliza ao paciente.

Ao projetar o sistema, essa peça já é considerada parte do mesmo, já que é fundamental na regulagem de pressão e na garantia do correto suprimento ao paciente. Vale lembrar que somente uma empresa especializada pode fazer essa instalação no local e forma corretos.

E se precisar de manutenção?

Pode ser que você já conte com o sistema, mas isso não significa que as manutenções sejam desnecessárias. Periodicamente, é preciso avaliar o funcionamento total, ainda que tudo pareça correr bem. Trata-se de uma forma de estar de acordo com a lei e garantir a segurança e integridade de colaboradores e pacientes.

Também, quando ocorre qualquer suspeita de que a válvula não está funcionando corretamente, a qualquer tempo, é importante solicitar assistência técnica. Em ambos os casos, uma empresa de engenharia é a melhor opção para realizar o serviço com a eficiência e segurança necessárias para manter o seu sistema dentro dos padrões de funcionamento.

Quem contratar para instalação e manutenção?

Como dissemos, somente engenheiros profissionais podem se responsabilizar pela instalação e manutenção da válvula reguladora de oxigênio. Assim, você precisará de uma empresa especializada no ramo para proceder com os serviços. A empresa precisa ter registro no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) da sua região e contar com um engenheiro responsável.

Em síntese, caso você esteja na fase de instalação, a melhor opção é encontrar alguém que faça desde o projeto até a instalação. Caso sua necessidade seja de manutenção, também é possível escolher um pacote que inclua as revisões periódicas e assistência técnica. Assim, você também terá a quem recorrer em caso de problemas.

A Engethink é um bom exemplo de empresa que oferece o serviço completo. Visite nosso site e conheça nosso trabalho!